7 de jun de 2007

Curiosidade

É tudo curiosidade (de novo). É querer saber quem é aquela pessoa.

"Como reagirei com o primeiro contato?/Será que seremos amigos?/Que pessoa interessante."

Mas algo nela me diz que existe alguma coisa estranha.Ainda não sei o quê. Mas qualquer ato dessa pessoa me desperta alguma coisa.Cada gesto é tão significativo...

Essa curiosidade me sacode. Faz tremer os joelhos durante alguns segundos. Ansiedade. Querer ir. E algo prende. E sei que sou eu mesma.A covardia me invade nos momentos mais inapropriados.

Cadê aquela Eu? Some e nem diz onde foi, quando volta ou porque se foi.

Vejo-me por fora e vejo que aquilo não sou eu! Sou também. E se isso causar dor, frio ou qualquer outra coisa que não sei o nome e também não quero saber, porque me faz mal. Mas precisamos saber o nome dos inimigos. (Precisamos?)Esse sentimento está cheio de texturas e cores. Cor carmim, eu acho.

Sossega coração. Fica quietinho só por um instante para eu pelo menos conseguir organizar esse pensamento que pensa de mais.Calma, só um pouquinho. Eu sei que você gosta de bater forte. Gosta de sair por aí sem pedir licença à quem lhe cede moradia. Vai indo. E vai mesmo. E eu que fique aqui para segurar as pontas.

Enfim, estou ali, de frente para o curioso. E sou eu que fico sem gestos, sem atos, sem ar. Mas para que ar? Parecia a morte. E morto não sente falta desse átomo.

Então...estou viva e ali.

Ainda sem saber como saber sobre aquilo, aquele alguém, aquela situação.Era para ser bom. Mas bom não era exatamente o nome daquilo que eu estava sentindo. Não preciso achar o nome de nada e nem solução. Deixo a cargo de outrem essa resolução.

Deixar que se eu tiver que conhecer aquela pessoa e aquela coisa que sinto, não seja responsabilidade minha. Não será. Não me racionalize. Não procure o que não existe. Não queira respostas irrespondíveis.

Queira ser. Sinta a música.(Estou ouvindo você nesse exato momento)

E te ouso melhor assim. Aquela voz que me falava ontem era estranha. Era estranho te ouvir.Prefiro ainda te escutar desse jeito. Com esse som. Deixa assim. Pelo menos por enquanto.

Nenhum comentário: